Header Ads

Como lidar com o sofrimento de acordo com o Buda


A vida tem seus altos e baixos. Um dia nos sentimos no topo do mundo, cheios de alegria e entusiasmo por uma recente férias ou promoção no trabalho. Tudo isso pode desabar com a notícia repentina da perda de um ente querido ou da traição de um amigo.

Por mais que queiramos nos apegar a experiências positivas, o sofrimento é inevitável. Embora esse pensamento possa parecer desanimador, ele pode realmente fortalecer as pessoas: embora não possamos evitar as adversidades, podemos mudar a forma como respondemos aos eventos dolorosos da vida. Isso pode ajudar a aliviar as emoções dolorosas que surgem do sofrimento e do estresse.

Este conceito inspirou Buda quando ele começou a divulgar seus ensinamentos por toda a Ásia. Como o Buda escreveu: “Tudo o que ensino é o sofrimento e o fim do sofrimento”. Embora os ensinamentos budistas tenham se originado há mais de 2.500 anos , eles ainda se aplicam hoje em como lidar com a dor.

Você não precisa ser um monge devoto para se beneficiar da abordagem budista para aliviar o sofrimento. Compreender alguns princípios básicos do budismo pode colocá-lo no caminho para lidar melhor com o sofrimento, aliviar a dor e levar uma vida mais pacífica.

Aceitar as imperfeições da vida ajuda a aliviar o sofrimento.

As Quatro Nobres Verdades constituem a base do Budismo. Começa declarando que “a vida é sofrimento”. Para muitos, essa ideia pode parecer deprimente. Na verdade, o Buda expôs algo muito importante. Ele reconhece que o sofrimento é apenas uma parte da vida e, quanto mais você aceita as imperfeições da vida, menos estressante ela se torna.

A ideia de aceitação como um antídoto para o sofrimento pode parecer contra-intuitiva e difícil de entender. No entanto, pare um segundo para pensar sobre isso. Quando você sofre, como quando está com o coração partido ou experimentando tristeza, mais dor surge por resistir ou negar que você se sentiu mal em primeiro lugar. Suprimir essas emoções fortes só pode piorar as coisas e até mesmo nos levar a agir de maneiras prejudiciais e destrutivas.

Viver no presente pode ajudar a aliviar o sofrimento.

O Buda atribui todas as formas de sofrimento, seja dor física ou luta emocional, a um fator: impermanência. Tudo muda.

No entanto, as pessoas se sentem melhor quando têm um senso de previsibilidade. Isso os faz negar a verdade simples de que nada permanece igual. Em vez de se render à mudança, as pessoas lutam contra ela. Tentamos manter as coisas iguais; nosso trabalho, nossos parceiros, nossos amigos, nossas casas, nossas comunidades. Então, quando o mundo ao nosso redor muda, como vai acabar, isso causa raiva, tristeza e frustração.

E, no entanto, a mudança é inevitável. Em vez de se apegar constantemente ao passado ou se agarrar a algo melhor, o Buda recomenda aceitar as coisas como elas são, neste exato momento, vivendo plenamente no presente.  

Isso significa abrir mão do passado para que possamos apreciar plenamente tudo o que existe agora. Dessa forma, vivemos em harmonia com a natureza, sempre mudando. Nós nos abrimos para tudo o que o momento presente tem a oferecer e não lutamos contra a corrente da impermanência.

Todo conteúdo postado é feito com carinho e dedicação. Se puder, contribua com qualquer valor para a manutenção desse trabalho. Pix: lucianacosta2040@gmail.com.

Gratidão 🙏🙏🙏

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.